terça-feira, março 16, 2010

O Monopólio da Virtude

Rodrigo Constantino, O Globo
(16/03/2010)

Característica bastante comum nos debates, muitos são aqueles que tentam monopolizar a virtude. Trata-se daquilo que Thomas Sowell chamou de “tirania da visão”. A pessoa, imbuída das melhores intenções, acaba rejeitando uma reflexão honesta e imparcial quanto aos melhores meios disponíveis para os fins desejados. Tudo que importa são as finalidades nobres, e qualquer caminho alternativo será tratado com profundo desdém, como se o próprio objetivo do outro fosse pérfido.
O movimento “pacifista” ilustra bem isto. As pessoas que automaticamente confiscam para si o monopólio da luta pela paz, como se o restante fosse adepto da violência, não pretendem nunca debater a fundo os resultados concretos de seus métodos. A estratégia é desqualificar a intenção dos oponentes: são lacaios da indústria bélica ou sedentos por sangue. Não importa mostrar que certos inimigos precisam ser combatidos com firmeza, ou que algumas lutas são necessárias para a própria manutenção da paz. Tampouco adianta mostrar inúmeros casos em que a complacência com o inimigo foi paga com o sangue dos inocentes. Os “pacifistas” já encerraram a questão antes mesmo do debate começar: somente eles querem de verdade a paz.
A questão das cotas raciais desperta o mesmo tipo de cruzada moral. Seus defensores se colocam num patamar mais elevado, como se apenas eles estivessem realmente do lado dos negros. Qualquer um que ouse questionar os efeitos desta medida será acusado de insensível perante o sofrimento das minorias. Não importa tentar argumentar que a segregação de indivíduos com base no critério racial acaba fomentando o racismo que pretende atacar. Tampouco adianta mostrar que velhas injustiças não devem ser combatidas com novas, e que as cotas acabam prejudicando inúmeros inocentes de baixa renda, somente por conta de sua cor de pele mais clara. Argumentar que a população brasileira é formada por mestiços também é inócuo. A própria intenção dos que condenam as cotas é atacada, como se apenas seus defensores estivessem em busca de justiça.
Em economia, há uma clara tendência ao monopólio da virtude também. Os defensores dos pobres são aqueles que defendem o uso do aparato estatal no combate à miséria, sem, entretanto, aprofundar o debate a respeito do melhor método para reduzir a pobreza de fato. Se alguém mostrar que a miséria foi combatida com mais eficácia onde o governo praticou menos intervenção econômica, ele será ignorado na melhor das hipóteses, ou poderá ter suas intenções questionadas: está apenas defendendo seus interesses de “classe”. A repetição de rótulos que objetivam desqualificar a pessoa é indiretamente proporcional à capacidade de argumentação.
Desta forma, o monopólio da “justiça social” acaba com aqueles que defendem, como meio, maior concentração de poder no governo, mesmo que tal caminho leve ao resultado oposto daquele originalmente intencionado. Brasília possui a maior renda per capita do país, e os principais itens produzidos lá são leis esdrúxulas e muita corrupção. Mas se alguém defende mais liberdade econômica, acaba logo rotulado de “darwinista social”, como se fosse um inimigo dos pobres.
Em todos esses casos, o padrão se repete: seres humanos de carne e osso acabam sacrificados no altar da ideologia. O esforço destas pessoas está direcionado à propaganda ideológica, e todos que defendem pontos de vista alternativos acabam demonizados. Quem sai perdendo com tal postura somos todos nós. Afinal, as estradas para o inferno costumam ser pavimentadas com ótimas intenções.

32 comentários:

cessna disse...

"A repetição de rótulos que objetivam desqualificar a pessoa é indiretamente proporcional à capacidade de argumentação."

O correto seria inversamente proporcional.

Rodrigo Constantino disse...

De fato, falha minha.

Antonio disse...

Eu nunca concordei muito com o termo raça humana. Raça é coisa de cachorro, gado, cavalo, etc...

errosprimarios.blogspot disse...

"A pessoa, imbuída das melhores intenções, acaba rejeitando uma reflexão honesta e imparcial quanto aos melhores meios disponíveis para os fins desejados."

Rodrigo, concordo com muito dos seus pontos de vista. Mas achei até irônico você dizer isso, pois na minha opinião é exatamente o que você faz.

No debate "liberalismo X comunismo" você sempre usa aquele tom Olavo de Carvalho, se referindo aos seus oponentes como "canalhas", "mentirosos", "ladrões", "ignorantes", etc...

Quando na verdade é óbvio que não é este o caso (estou falando dos defensores das idéias de esquerda no meio intelectual... não de um Fidel, que obviamente é um canalha de fato).

E quando você mesmo ataca seus adversários ideológicos com tanto fervor, você está denegrindo o debate reduzindo o espaço para as idéias amenas.

Sem amenidades e só com estereotipações dos dois lados, o debate se transforma em um ping-pong de argumentos falaciosos e generalizações dos dois lados.

Abraço

Rodrigo Constantino disse...

Ao colega de cima, vc respeitaria um NAZISTA num debate? Pois é...

Comunistas são da mesma laia. E eu não monopolizo a virtude no caso, eu apenas mostro que não há virtude em certos grupos (o que é bem diferente de alegar que somente eu a tenho!). Existem sim muitos canalhas e hipócritas por aí.

Mas veja, mesmo assim eu mantenho sempre o benefício da dúvida: acho que a maioria dos socialistas não é formada de canalhas, mas de inocentes úteis. Estão errados, não têm bons argumentos, mas não é por canalhice, e sim por ignorância mesmo.

Rodrigo

Anônimo disse...

Excelente artigo!

Praticamente todo e qualquer debate no Brasil sofre pela utilização deste tipo de estratégia. É praticamente impossível discutir com um esquerdista, seja numa mesa de botequim ou no Congresso Nacional, sem levar uma dose dessa covarde estratégia de desqualificação automática dos argumentos adversários.

Devido ao fato de o nível cultural da população brasileira ser tão baixo, fica muito difícil, para não dizer impossível, vencer um debate contra algum desonesto intelectual que se agarre nesta simplificação pérfida.

Petistas são criados e adestrados neste tipo de estratégia de debate, sendo tão arraigada esta doutrinação que ficamos sem saber se o interlocutor está mal-intencionado ou se acredita de fato na estupidez que está pronunciando.

A ditadura do politicamente correto estraga o debate franco e sincero eliminando por conseqüência, qualquer possibilidade de torná-lo útil.

A covardia intelectual das esquerdas sempre se apoiou na miséria intelectual brasileira para desviar o foco, especialmente em debates sobre temas que ferem seus interesses escusos.

ntsr disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
OJ disse...

Esse negócio de cotas, seja para pobres ou pretos é armeng ou gambiarra social para esconder a realidade.
O ensino escolar público é uma porcaria.
O governo já fornece as bolsas escola para ajudar as famílias carentes a sobreviver sem a ajuda do trabalho da criança que deveria estar estudando, mas não oferece o ensino de qualidade que deveria.
Agora quer criar cotas para encobrir sua incapacidade de fornecer educação adequada.
O salário dos professores é ridículo em sua maioria, mas os professores também são vítimas da educação inadequada e são mal preparados.
Recentemente em um voo para Vitória sentei ao lado de uma professora estadual e fiquei realmente abismado com a ignorância geral e falta de intimidade com a cultura da dita professora. Além de falar errado atropelando o vernáculo era de uma mente desprovida de qualquer predicado que a capacitasse para ensinar o que quer que fosse.
Fiquei com pena dos alunos.
Ignorância neste país atinge todos os níveis como uma pandemia sem cura ou vacina.

fejuncor disse...

Às vezes penso se isto nada mais é que mera transposição automática do princípio da realpolitik ao debate de idéias, cachola rasa tipo: elites direitistas criticam estado, odeio azelites direitistas, portanto eu adoro o estado - mesmo este se mostrando dia após dia um foco de corrupção, imoralidade cívica, degeneração dos valores sociais, depósito de criminosos além de cada vez mais oneroso.

lingvo-shatanto disse...

"Blogger OJ said...

Esse negócio de cotas, seja para pobres ou pretos é armeng ou gambiarra social para esconder a realidade."

Confesso-me também ignorante. Gambiarra ainda vá lá, mas o que danado é armeng?

" O ensino escolar público é uma porcaria."

Não é só o público, não, o país está infestado de escolas particulares de quinta categoria. Também num país em que se faz da educação, da saúde e da segurança um negócio privado, não seria para menos.

"O governo já fornece as bolsas escola para ajudar as famílias carentes a sobreviver sem a ajuda do trabalho da criança que deveria estar estudando, mas não oferece o ensino de qualidade que deveria."

Só não esqueça de que o ensino fundamental e o ensino médio são funções constitucionais dos municípios e estados.

Agora vc. se esqueceu de responsabilizar o PT por parte ponderável do atual estado de coisas. Antigamente, o ensino era, no mínimo, sofrível, mas havia aulas no ensino público.

Com o sindicalismo e grevismo dos professores, incentivado pelo PT que montou nisso sua estratégia de conquista do poder, a situação ficou imensamente agravada, nos últimos 25 anos, pois na maiorias das escolas públicas de todos os niveis, em regra não é sequer cumprida a carga horária mínima, com reposição verdadeira das aulas perdidas nas greves.

Outra crítica ao PT: levou todas as lideranças sindicais desse tempo para ocupar os melhores lugares na administração pública (a conta tinha que ser paga), quando não obtêm mandatos eleitorais, abandonando o sindicato a lideranças despreparadas, que retiraram da maioria dos sindicatos a real capacidade de conduzir suas categorias para obtenção de melhores condições de trabalho e reposições salariais adequadas.

Melhor desmonte das lideranças sindicais não teriam conseguido os neo-liberais que sempre tiveram em sua política a vontade de aniquilação completa do movimento sindical, a exemplo do que aconteceu nos EUA e Europa.

E o pior. A maior base do PT se encontrava exatamente junto aos sindicatos das categorias de servidores públicos que foram entregues às traças em todas as suas reivindicações pós PT. É, cuspiu no prato que comeu.

" Agora quer criar cotas para encobrir sua incapacidade de fornecer educação adequada."

Volto a insistir, o despreparo, para ingresso no ensino superior, razão das cotas, decorre de deficiências no ensino fundamental e médio, de responsabilidade constitucional dos estados e municípios. Nisso o PT é tão culpado quanto os demais partidos que vêm administrando essas unidades nos últimos 50 anos.

lingvo-shatanto disse...

" O salário dos professores é ridículo em sua maioria, mas os professores também são vítimas da educação inadequada e são mal preparados."

É parece que se tem que investir mais eficazmente em educação, a começar na formação dos professores. Mas isso interessa a quem? Político só quer investir em obras, entregando-as a empreiteiras, que subempreitam, sublocam e terceirizam de acordo com a regra de ouro do livre mercado: só me interessa o filé! Esse pessoal, não gosta mesmo do hambúrguer, isso fico mesmo para os assalariados de lá e de cá.

" Recentemente em um voo para Vitória sentei ao lado de uma professora estadual e fiquei realmente abismado com a ignorância geral e falta de intimidade com a cultura da dita professora. Além de falar errado atropelando o vernáculo era de uma mente desprovida de qualquer predicado que a capacitasse para ensinar o que quer que fosse."

Como já notava um professor universitário, da área de formação de professores, quem busca a universidade procura os cursos que asseguram a obtenção dos melhores salários no país. Optam pelos cursos de formação de professores apenas aqueles alunos egressos do segundo grau, a maioria de escolas públicas ou particulares menos cotadas, que não têm condições de concorrer com os feras que obtêm os melhores lugares, nos melhores cursos,das melhores universidades do país. Daí o descalabro, cada dia maior.

" Fiquei com pena dos alunos.

Ignorância neste país atinge todos os níveis como uma pandemia sem cura ou vacina."

É, parece que só entregando o ensino totalmente ao livre mercado, para resolver o problema. Mas isso ja está a caminho, e o quadro só tem ficado agravado. Oferecem-se cursos de qualquer jeito, reduzindo-se até mensalidades a valores ínfimos que garantam a receita da instituição, sem qualquer preocupação com qualidade de quadros, normalmente arregimentados daqueles formados nas universidades públicas, com pós-graduações, mestrados e doutorados financiados pelo Poder Público.

OJ disse...

Lingvo

Nada a acrescentar, você complementou o que eu penso.
Armeng é gíria de engenharia offshore=gambiarra.

ntsr disse...

'o país está infestado de escolas particulares de quinta categoria. Também num país em que se faz da educação, da saúde e da segurança um negócio privado, não seria para menos.'

como é?

lingvo-shatanto disse...

Blogger ntsr said...

"o país está infestado de escolas particulares de quinta categoria. Também num país em que se faz da educação, da saúde e da segurança um negócio privado, não seria para menos.'

como é?"

E não é?
O que se autorizou de escolas de nível superior neste país nos últimos 20 (vinte) anos, só encontra paralelo na distribuição de emissoras de tv e de rádio na época de Figueiredo. É... é o Estado estimulando a iniciativa privada...

E a saúde pública, cujo atendimento direto também é afeto aos estados e municípios, que calamidade, parece que só para facilitar o incremento dos planos de saúde e dos hospitais e clínicas particulares, para onde vai a maior parte do lucro do SUS.

É segurança, eu não falei que era a pública, que é totalmente ineficaz no combate ao crime. Não por acaso as empresas de segurança privada, fazem a festa. E haja "livre" mercado, que precisa ser menos livre e o Estado mais presente, obviamente com eficiência.

Rodrigo Constantino disse...

Vc parece condenar o que dá certo e propor como solução mais daquilo que dá errado e é podre.

Escolas públicas? Um lixo! Mas vc condena as escolas privadas...

Segurança pública? Piada! E vc condena as firmas de segurança que podem oferecer alguma proteção aos indivíduos.

Conceitos estranhos...

lingvo-shatanto disse...

"Vc parece condenar o que dá certo e propor como solução mais daquilo que dá errado e é podre.

Escolas públicas? Um lixo! Mas vc condena as escolas privadas...

Segurança pública? Piada! E vc condena as firmas de segurança que podem oferecer alguma proteção aos indivíduos.

Conceitos estranhos..."

Estranhos, mas é o que foi posto em nossa Constituição por nossos brilhantes constituintes.

O Estado tem de se pautar por ela, ou não?

Claro ela prevê a iniciativa privada que deve ocupar todo o espaço possível e, no que isso não seja possível, cabe ao Estado suprir.

E iniciativa privada não vai assegurar educação, saude e segurança para todos, como prevê a Constituição, mas só para os "alguns" que podem pagar seus serviços.

E a constituição é a garantia do Estado de Direito, ou queres também suprimi-lo, pois isso, bem ou mal, se tem no Brasil, ainda que com uma Justiça altamente deficiente.

Ela só funciona para os que podem custear bons advogados e mesmo assim como custa?! (estou falando do tempo para deslinde das controvérsias e solução das inumeráveis possibilidades recursais, que nada mais objetiva permitir à parte mais forte (economicamente), protelar indefinidamente um processo, quando não consegue reverter nas instâncias superiores as decisões que lhe são desfavoráveis, no que conseguem na maioria das vezes).

ntsr disse...

'E iniciativa privada não vai assegurar educação, saude e segurança para todos, como prevê a Constituição, mas só para os "alguns" que podem pagar seus serviços.'

Isso é assim sem considerar a natureza deflacionária do capitalismo, ou seja, como o tempo os mesmos produtos vão ficando cada vez mais baratos/acessíveis.
Lingvo, se vc se desse ao trabalho de ler os artigos antigos evitaria de chover tanto no molhado.

ntsr disse...

E depois, educação, saude e segurança do governo são toscos pq qualquer coisa que o governo faça os pagadores de impostos são forçados a recompensar.Quem é que vai se esforçar pra fazer algo bem feito assim?Quando o povo reclama da saúde ruim os políticos falam a única coisa que sabem, que a solução é mais imposto. Ou seja ele enfia a mão no teu bolso, arranca o quanto quiser, decide o que tu deve querer (vc deve ser algum retardado que n consegue decidir sozinho), devolve uma porcaria, fala que é uma porcaria pq arrancou pouco, e quando alguém nota que esse sistema é no mínimo 'ineficiente', esse alguém é taxado de darwinista social.

lingvo-shatanto disse...

"'E iniciativa privada não vai assegurar educação, saude e segurança para todos, como prevê a Constituição, mas só para os "alguns" que podem pagar seus serviços.'

"Isso é assim sem considerar a natureza deflacionária do capitalismo, ou seja, como o tempo os mesmos produtos vão ficando cada vez mais baratos/acessíveis.
Lingvo, se vc se desse ao trabalho de ler os artigos antigos evitaria de chover tanto no molhado.

By Blogger ntsr, At 10:14 PM"

A que custo ntsr? Produtos descartáveis que só duram um ano, obrigando-lhe compulsoriamente a substituí-lo porque a velha assistência técnica ficou inviabilizada, e se não quebra até então fica obsoleto, obrigando-lhe a buscar a versão mais nova? aH. vc. continua livre, compra se quiser, né?


Essa mistificação só durou até o primeiro governo Bush, que para se reeleger teve de criar outro mito, aquele da Guerra contra o Terrorismo plantado pelo agente da CIA Bin Laden (que ninguém encontra...) e o terrível logro das armas de destruição em massa no Iraque.

O povo americano que acreditou no logro, pois afinal vinha ao encontro do "destino manifesto" da dominação americana no mundo, e embarcou no sonho da casa própria (cada dia mais barata, né? do mesmo jeito que o crédito, né? Os juros lá só custam 0,25% aa., né) está pagando agora o pato, que foi cozinhado às custas do suor dos mexicanos, porque esse "esquema" só funciona enquanto tem mão-de-obra barata para explorar.

Na Europa, os turcos já não tão turcos, já na terceira geração estão mostrando que o buraco é mais embaixo.

E o boom do momento? Não é por acaso que a China, a Índia e a Indonésia (que não seguem a cartilha do livre-mercado, por sinal) vêm conseguindo os melhores desempenhos nos últimos anos, inclusive de crise? Porque lá tem mão de obra à bessa que aceita trabalhar por qualquer dois vinténs. Até quando isso vai durar, e todo o mundo acordar?
Acorda, viu, se não por bem, por mal, principalmente quando o FED e outros bancos centrais começam a "feder".

educação, saúde e segurança está cada dias mais barato.

automóveis, imóveis, remédios, nunca deixaram de subir. Ah, mas nesse caso é o dedo do estado.

E isso tudo a que custo? Meio-ambiente degradado em todo o mundo, mão-de-obra cada vez mais mal remunerada, concentração de riquezas nas mãos de pouco como nunca, tornando estados menos fortes (só?) como joguetes das grandes corporações multinacionais e dos famosos fundos Hedge. A Islândia que o diga.

A cara tese do capitalismo deflacionário, apresentada pelo neo-liberalismo para justificar seu rolo compressor econômico, já foi desmistificada (ou seria melhor, desmitificada?)? Não li os artigos anteriores do Rodrigo, não, mas vejo que ele escreveu a cartilha (ou é catecismo?) bem direitinho e vc. acreditou...

Mas vc. precisa ler "Deus no Céu e o mercado na terra, Capitalismo, Populismo e O FIM DA DEMOCRACIA ECONÔMICA", de Thomas Frank, Editora Record, que mostrou como funciona toda a farsa. E foi escrito lá nos States e publicado já em 2000, um ano antes do 11 de setembro.

Essa coisa, como teoria marxista e outras balelas no campo da economia, passam amigo.

Os homens não são máquinas nem robôs, mas seres humanos com necessidades que não se limitam a meras necessidades materiais.

Rodrigo está certo em procurar, à maneira dele, consertar o Brasil, porque pode ficar certo que um dia ele vai ser consertado, mas com um modelo econômico que tenha como meta "o homem", não a mercadoria mais barata, porque a mercadoria "homem", quando barata só leva à degradação da família humana.

Quando vcs.vão aprender a lição? A cartilha está escrita na história.

ntsr disse...

'A que custo ntsr? Produtos descartáveis que só duram um ano, '

Não cara, produtos duráveis também, serviços também...vc n procurou o artigo que fala disso, parece que só quer papagaiar os velhos clichês da esquerda

'teve de criar outro mito, aquele da Guerra contra o Terrorismo plantado pelo agente da CIA Bin Laden (que ninguém encontra...) '
Vc anda lendo muita teoria conspiratória.Primeiro mensagem subliminar agora isso, daqui a pouco vai falar que o homem nunca pisou na lua

ntsr disse...

'Acorda, viu, se não por bem, por mal, principalmente quando o FED e outros bancos centrais começam a "feder".'

FED não é capitalismo, é governo.Inclusive uma das coisas que os liberais americanos querem é uma auditoria no FED

lingvo-shatanto disse...

"'teve de criar outro mito, aquele da Guerra contra o Terrorismo plantado pelo agente da CIA Bin Laden (que ninguém encontra...) '"

É, NTSR, errei,mas não tão feio quanto vc. pretende.

Não é agente, não é ex- e foi plantado lá mesmo afeganistão para criação de guerrilha contra a invasão russa. Não vá dizer tb. que os russos não chegaram em marte, ainda que teleguiados.

Porque é que ele está tão bem escondido lá? Pq foi ele que organizou tudo, inclusive os famosos talibans?

É parece que ele guardou bastante do capital recebido para criar essa quinta coluna americana lá dentro. E que quinta coluna, hein?

Tiro também sai pela culatra, qualquer artilheiro sabe disso.

ntsr disse...

'Ao colega de cima, vc respeitaria um NAZISTA num debate?'

Ainda to esperando a resposta...

lingvo-shatanto disse...

"FED não é capitalismo, é governo.Inclusive uma das coisas que os liberais americanos querem é uma auditoria no FED".

Oh ntsr, sem essa viu.O Estado americano sempre foi promotor do Capitalismo. Está no sangue. A grande crise de 1929 é que fez os democratas buscarem novos caminhos para tentar preservar a economia americana da primeira grande enrascada criada pelo capitalismo financeiro.

Na Inglaterra, França, Alemanha, o capitalismo ainda foi temperado pela social-democracia, aquela do welfare, e pelo trabalhismo, mas a primazia do capitalismo na Europa ocidental, principalmente depois do pós-guerra, nunca foi posta em cheque.

Ah, mas o governo regulamenta... P'ra que é que existe Governo? Tá lá na Declaração de 1776, da pena de Jefferson e Adams, só que o Governo previsto na Constituição Americana e o Bill of Rights votado 10 (?) anos depois, nunca deram integral cumprimento à intenção inicialmente posta de que o Estado deveria ser o garantidor da igualdade e dos direitos de todos e não apenas de parte da população, privilegiando sempre a minoria que detinha o poder econômico. O resto foi continuou um sonho americano, que só começou a se tornar realidade depois do sacrifício de Lincoln e se concluiu com o sacrifício de Martin Luther King, pois, escravidão e segregação racial nunca combinaram com o que foi escrito naquela declaração.

A luta agora está com os latinos, já que os afro-descendentes, pouco a pouco vêm conquistando o seu nicho, não estando tão longe o dia em que essas duas minorias formarão a maioria do povo americano. Será que haverá nova secessão? Tem muita gente lá apostando por isso.

lingvo-shatanto disse...

"Uma diferença era que Arafat n estava lutando por um estado palestino do lado de Israel mas sim pela destruição completa de Israel
Depois de um tempo ele resolveu bancar o bonzinho mas parece que o negócio dele era falar uma coisa e fazer outra."

Oh ntsr,

péra aí! Quem vem lutando para que não exista um Estado palestino junto a Israel é este. E Israel tentou de todas as formas possíveis esmagar e destruir o povo palestino que expulsou das fronteiras do estado original previsto pela ONU, de que surgiu o Estado judeu. Eles só admitiram os palestinos que já estavam assimilados junto às colônias judaicas. Os demais eram criadores de cabras nas vastidões daqueles desertos e nas poucas cidades e aldeias em que eram praticamente a única população étnica.

Ou isso já decorreu de uma visão capitalista, de manter uma reserva de mão de obra barata, sem a qual nenhum modelo capitalista prospera, salvo se se transferir para países mais liberais, né?

lingvo-shatanto disse...

ntsr has left a new comment on the post "O Monopólio da Virtude":

E depois, educação, saude e segurança do governo são toscos pq qualquer coisa que o governo faça os pagadores de impostos são forçados a recompensar.Quem é que vai se esforçar pra fazer algo bem feito assim?Quando o povo reclama da saúde ruim os políticos falam a única coisa que sabem, que a solução é mais imposto. Ou seja ele enfia a mão no teu bolso, arranca o quanto quiser, decide o que tu deve querer (vc deve ser algum retardado que n consegue decidir sozinho), devolve uma porcaria, fala que é uma porcaria pq arrancou pouco, e quando alguém nota que esse sistema é no mínimo 'ineficiente', esse alguém é taxado de darwinista social.

Post a comment.

Unsubscribe to comments on this post.

Posted by ntsr to Rodrigo Constantino at 6:43 AM

Não discordo em nada de vc. É tudo verdade. Só que vc. se esquece que esses políticos sempre estão mano a mano com as forças econômicas que garantem suas eleições, inclusive os do PT.

Tem que ter Governo, acho isso indiscutível, o mínimo possível. O problema não está no Governo em si, mas nas pessoas que são conduzidas para manobrar o sistema, e não é o Presidente só, não. Ninguém governa sozinho, a não ser ditador, se tiver a força armada ao seu lado.

Um Governo é feito de bastante gente. Como resolver o problema?

Vcs. falam aqui em livre mercado, em Singapura, em Coréia do Sul e outros "tigres" da Ásia. O desenvolvimento da Europa, dos Estados Unidos, do Japão e onde quer que ele existe, sempre decorreu de elevados investimentos em educação de qualidade.

Porque os políticos não querem que isso aconteça, junto com aqueles que os secundam? Porque fica muito mais difícil de manipular "a massa ignorante" como sempre fizeram.

Mas os políticos que pretenderam fazer algo de sério, no campo da educação, sempre foram ridicularizados, ou imediatamente apeados do Ministério da Educação quando para lá conduzidos, assim que começaram a cobrar o cumprimento das promessas eleitorais feitas, inclusive no caso do PT, com Cristóvão Buarque, e Marcos Maciel, do ex-PDS, em passado menos recente.

Lotear o Governo ao Poder Econômico? Pra que? Eles sempre estiveram lá.

Falou-se em privatizar o Estado, mas o Estado tem que ser desprivatizado, para ver antes o interesse da maioria, e deixar a minoria se virar com o imenso poder que já tem e pode e deveria dispensar a ajuda do Estado.

lingvo-shatanto disse...

“Pretender que a empresa tenha uma 'função social' outra que produzir melhor e mais barato o que os consumidores desejam é não só um paradoxo: é uma farsa.” (Donald Stewart Jr)

O governo não tem que ser empresario de nada, mas tem que suprir aquilo que a iniciativa privada não tem interesse, além de Educação, Saúde e Segurança.

Posted by OJ to Rodrigo Constantino at 6:39 AM"

É, OJ, esse Stewart poderia até estar certo.

Mas o problema é que no Brasil a propriedade, qualquer ela, não só a rural, só tem legitimidade para existir se tiver uma função social, e o conceito de função social não é tão restritivo quanto pretende o autor por vc. citado. Não aqui no Brasil, a não ser que vcs. consigam reformar a constituição e excluir essa prescrição constitucional.

lingvo-shatanto disse...

"'Ao colega de cima, vc respeitaria um NAZISTA num debate?'

Ainda to esperando a resposta...

By Blogger ntsr, At 5:23 PM"

Oh ntsr,

és tu mesmo, ou somente és um dos avatares do Rodrigo?

Essa pergunta foi formulada por ele para o post de outra pessoa, não a mim.

Mas, se foi para mim, eu respondo. Eu concordo com Rodrigo, de que com um comunista, de carteirinha, debater é impossível, pois eles seguem sempre aquele esquema premontado, parecido com aquele discurso adredemente preparado para operador de telecenter. Se vc. interromper a cantilena, ele se embaralha um pouquinho, mas logo depois recupera o fio da meada e continua a mesma peroração.

Com nazista, eu não sei, só ouço falar de neonazista com introdução de novos preconceitos, o uso sistemático da violência, batendo primeiro para depois discutir se o coitado ainda tivesse forças.

Mas eu sei que o empresariado alemão dialogou muito bem com os corifeus dessa tendência política, tanto que com eles colaboraram intimamente, assegurando para si o monopólio do rearmamento alemão, guardando inicialmente o devido sigilo, recebendo todas as benesses daquele regime, inclusive a mão de obra gratuita recrutada entre os prisioneiros do regime, quer inimigos interno, quer externos, colaborando também na criação da máquina infernal de matar por eles criada para eliminar suas pobres vítimas.

A maioria delas continua atuando no livre mercado.

lingvo-shatanto disse...

Lingvo

Nada a acrescentar, você complementou o que eu penso.
Armeng é gíria de engenharia offshore=gambiarra.

By Blogger OJ, At 7:44 PM

Grato OJ, pelo esclarecimento.

Rodrigo Constantino disse...

Lingvo está tentando substituir o Everardo aqui no blog, com tantas postagens??? hehe

Veja, não vou me alongar pois já tenho artigos sobre o assunto, mas a crise de 29 foi uma crise do INTERVENCIONISMO, não do liberalismo, e o New Deal NÃO salvou o capitalismo, mas agravou os problemas.

Sobre a Palestina, foi Arafat e seus colegas terroristas que nunca permitiram um acordo de paz. Israel desejava este acordo.

Rodrigo

lingvo-shatanto disse...

Blogger Rodrigo Constantino said...

"Lingvo está tentando substituir o Everardo aqui no blog, com tantas postagens??? hehe"

É,Rodrigo, reconheço que para vc. acompanhar todos os posts complica bastante,mas não dá para rebater determinadas réplicas só com duas ou três palavras. De qualquer modo, vc. é o proprietário incontestável do "blog" e moderador com plenos poderes, podendo negar seguimento a qualquer post ou mesmo excluir definitivamente qualquer um de nós, quando tal lhe aprouver.

"Veja, não vou me alongar pois já tenho artigos sobre o assunto, mas a crise de 29 foi uma crise do INTERVENCIONISMO, não do liberalismo, e o New Deal NÃO salvou o capitalismo, mas agravou os problemas."

Ainda não encontrei seu artigo, mas vou lê-lo. Aliás estou com um livro que fala sobre o grande Crack.

Quanto ao New Deal, eu não afirmei que ele salvou o Capitalismo. O que eu disse foi exatamente:

"A grande crise de 1929 é que fez os democratas buscarem novos caminhos para tentar preservar a economia americana da primeira grande enrascada criada pelo capitalismo financeiro."

Acho que me expressei mal falando em tentar preservar a economia americana, nem disse salvá-la, mas de fato buscar caminhos para garantir a recuperação da economia daquele país e sair da imensa recessão, com desemprego brutal (lembra-se das filas da sopa? Era do Exército da Salvação?) e voltar à situação de pleno emprego, que sempre foi a tônica da economia americana, e razão do seu sucesso, como nação.

Os que incentivaram a especulação a custa dos incautos, certamente foram gozar merecidas em algum balneário do Caribe, quem sabe, em Cuba mesmo?

Pode ser que vc. tenha razão quanto ao paliativo das medidas tomadas, e que a recuperação da economia só tenha deslanchado mesmo, após a deflagração da II WW, mas que, pelo menos o desemprego escandaloso foi contido, parece que sim, senão como se explicaria as seguidas reeleições do Roosevelt.

Os donos do Capital naturalmente nunca se conformaram com as restrições então introduzidas, como continuam hoje permanentemente inconformados com qualquer tipo de restrição. Mas como eu disse, não existe liberdade absoluta para ninguém, nem mesmo para o "free", que algumas vezes precisa ficar um pouco "frozen", porque quando ele se aquece demais os outros são que se queimam.

fejuncor disse...

Mas Lula não tem ideologia. Lula é um político. Políticos que têm ideologia fracassam. Lula teve sucesso quando largou a ideologia e se dispôs a fazer o jogo para as estruturas de corrupção. Hoje ele é um corrupto, é por isso que não cai.