sexta-feira, agosto 13, 2010

Programa de Aceleração da Campanha



Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

O jornal “O Globo” traz hoje reportagem sobre os atrasos na principal vitrine da campanha da petista Dilma, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Mais da metade dos gastos previstos nas obras do PAC se encontra no estágio inicial de contratação, ação preparatória ou licitação. Após três anos do lançamento do PAC, com muita fanfarra e divulgação, somente 13% das obras são consideradas concluídas. O levantamento foi feito pela ONG Contas Abertas.

Já a Folha de São Paulo vem com matéria sobre outro programa crucial da campanha petista, o “Minha Casa, Minha Vida”. A Caixa Econômica Federal omite dados do programa, desfavoráveis ao governo Lula, mas existem números públicos que podem ser analisados. Eles mostram que, no segmento no qual se concentra 90% do déficit habitacional do país, a conclusão dos imóveis não chega a 2% do previsto. Mais um projeto para inglês – ou no caso eleitor ingênuo – ver.

O candidato tucano José Serra denunciou na entrevista ao Jornal Nacional que o governo Lula investiu apenas cerca de um terço do total de R$ 65 bilhões arrecadados com a Cide desde 2003, lembrando que este imposto deve ser exclusivo para melhoria das estradas no país. Qualquer um sabe que as estradas federais estão em péssimo estado, merecendo o rótulo de “estradas da morte”, uma vez que o país é recordista mundial em mortes no trânsito. O governo prefere usar recursos para capitalizar o BNDES e financiar dez grandes empresas nacionais.

Esses dados mostram que o PT está interessado somente no Programa de Aceleração da Campanha mesmo, e não nos resultados concretos. O próprio presidente Lula, em vídeo gravado sem seu conhecimento durante visita em favela carioca, deixa claro que sua preocupação é o prejuízo político se a imprensa mostrar a “porra” do complexo esportivo fechado para o público humilde. E ainda tem gente que acredita nas boas intenções do Partido dos Trabalhadores... ou em Papai Noel, Saci-Pererê e Mula-sem-Cabeça!

11 comentários:

Julek disse...

Essa é a estratégia. Os catarinenses tiveram um mostra ontem. Ela foi ao sindicato dos empresários e quando questionada sobre as estradas federais péssimas começou a citar obras do PAC, investimentos nas universidades federais, todas com o dedo mágico da 'mamãe' Dilma.

Fabio disse...

Curioso é que a Tia Dilma do Botox so foi ministra porque é amigassa do peito de Lulinha, antes disso nao foi nem sindica de predio.
Agora com o Programa de Adiantamento do Companheiro quer ser presidente?
Isso é Phueda. O pior que eles do PT batem na tecla que os outros candidatos não vão manter o bolsa "aumenta" familia pra fazer aquele terrorismo básico e puxar a redea da galera. De volta ao voto de cabresto.

Anônimo disse...

o que me impressiona é a letargia do psdb.

ZEDOPEDAGIO disse...

A GRANDE POTÊNCIA DE PRIMEIRO MUNDO, ALEMANHA, CRESCE 3% E BRASIL COM LULA CRESCE MAIS QUE O DOBRO DISSO, 7% - - É DURO ADMITIR ISSO PREZADO RODRIGO CONSTANTINO??

Alemanha conta com crescimento do PIB de até 3%, diz "Der Spiegel"
Temas:Política Econômica Em Sábado 14/8/2010, às 6:29

Berlim, 14 ago (EFE).- O Governo alemão estima que o Produto Interno Bruto (PIB) pode crescer até 3% neste ano após o inesperado avanço de 2,2% registrado no segundo trimestre.

Segundo a revista "Der Spiegel", este número foi considerado como possível pelo Ministério da Economia. Até agora, as previsões do Governo alemão apontam para um crescimento de 1,5% do PIB neste ano.

As novas estimativas oficiais devem ser divulgadas em outubro, mas já ontem o ministro da Economia alemão, Rainer Brüderle, declarou que o avanço do PIB pode ficar perto de 2%.

Tamanho otimismo tem base no fato de que o impulso econômico não se sustenta unicamente no auge das exportações, tradicional motor da economia alemã, mas também no consumo particular e nos investimentos empresariais.

Com isso, um eventual arrefecimento das exportações por causa de um revés conjuntural fora do país não atrapalharia o avanço da economia.

O crescimento de 2,2% é o maior aumento trimestral registrado na Alemanha desde a reunificação do país, em 1990. EFE.

fejuncor disse...

Por aqui, ZE, decadência conta como "progresso". Compra de armamentos para a polícia e para o crime organizado, por exemplo, conta como "crescimento".

No Brasil do ciclo da cana-de-açúcar, o "crescimento" também era bem maior do que na então Germânia. A Alemanha "cresceu" muito durante o Nazismo, mas no geral, ao longo da história, as nações desenvolvidas sempre "cresceram" menos dos que as nações primárias subdesenvolvidas.

O Brasil está em franca decadência. Muitos não perceberam isso, ainda.

Corruptocracia: Roubar é poder! disse...

É verdade. Na Alemanha só ocorrem 4 homicídios para cada 100 mil habitantes por ano e no Brasil ocorrem quase 30. A Alemanha cresce pouco porque não há tanto tráfico de drogas e caminhões cheios de armas não vão parar nas mãos do crime organizado. Realmente, comparar o que seja crescimento no Brasil com o que seja crescimento na Alemanha é algo muuuito inteligente.

Burocratoparasita da União disse...

É que na Alemanha eles não precisam fabricar tantas peças de reposição para os carros que se acidentam. Lá, só morrem 8 pessoas por ano para cada 100 mil pessoas em acidentes automobilísticos enquanto no Brasil morrem 50. Estamos na frente.

Subdesenvolvimento não se improvisa. Subdesenvolvimento é fruto de séculos.

tibirica disse...

Petralha,

Soma com ano passado, PIB negativo, divide e tens a resposta...

Vergilio disse...

O que é melhor: crescer 2% onde já se tem tudo ou crescer 7% onde não se tem nada?

Ebert disse...

O tal do Zedopedagio esqueçe que é muito fácil mostrar crescimento com números inflados (falsos) como nosso ministro mostrou esses dias e ainda por cima no comparativo com o governo anterior diminuiu números descaradamente para enganar a população. E ainda tem gente que defende pois não tem capacidade intelectual de analisar nada.

Corruptocracia: Roubar é poder! disse...

Agora, aquele ali vídeo é demais. Rrsrsrs. Que baixaria. O rapaz fazendo reivindicação social e a vagabundaiada mandando ele pra "*****".