sexta-feira, agosto 06, 2010

O Debate da Band



Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

O primeiro comentário que vem à mente após o debate da Band entre os candidatos para presidente é curto e grosso: estamos perdidos! Após o “choque” inicial – não tão inesperado assim, vamos filtrando um pouco, eliminando as maiores bizarrices, até restar o “menos pior” deles. Mas é uma tarefa hercúlea diante da péssima qualidade das alternativas disponíveis. Que falta faz um partido liberal decente neste país!

A candidata Dilma se saiu muito mal, mesmo após seu “extreme makeover” no visual e o “treinamento com treinadores”. Não adianta: por mais que você tente ensinar uma mula a cantar, ela jamais será uma boa cantora. A natureza de Dilma não é ser carismática, e lhe falta o mínimo de traquejo. Trata-se de um robô programado. Sempre que vejo entrevistas ou debates com ela, fica mais fácil entender o desespero do presidente Lula ao afirmar que Dilma será apenas outro nome para “Lula” na urna. Se ela tiver que andar com as próprias pernas, não sai do lugar. Dilma gagueja o tempo todo, mostra insegurança, nervosismo, resultado de sua falta de preparo e do fato de jamais ter ganhado uma única eleição na vida. Além disso, ela abusa do hábito tradicional dos políticos, de enrolar nas respostas.

O tucano Serra foi muito fraco, burocrata demais, mas em termos relativos pode ser considerado até razoável. Seu discurso é o social-democrata padrão, mas lhe falta o mínimo de coragem para defender os acertos do governo FHC. Além disso, ele perde boas oportunidades de apertar mais a candidata petista, expondo a face mais radical do PT. Os eleitores têm o direito de saber quem é o PT na verdade, e o debate nacional é uma excelente chance de tocar nessas questões delicadas para Dilma. A estratégia de Serra está errada, em minha opinião. Em resumo, Serra foi pusilânime demais no debate.

Por fim, para não ignorar os outros dois: Plínio é uma figura de ópera bufa, com uma postura patética de quem sabe não ter chances, e um conteúdo socialista saído de um museu; e Marina não engana como “terceira via”, impregnada demais com o ranço petista. Além disso, verdade seja dita, ninguém pode “vencer” um debate com uma voz tão irritante.

22 comentários:

t. disse...

Perfeito, Rodrigo, com faz falta um partido seriamente liberal. Alias, partido eh consequencia. Faz muita falta o pensamento liberal no pais. Faz falta Ayn Rand em bom portugues.

Harlei Mendes disse...

hauahauah Gostei do "voz irritante da Marina".
E aquele "velhinho" tentando conscientizar a classe proletária para a revolução dos bichos hauahauah

Anônimo disse...

Serra perdeu a oportunidade de ser mais Índio!

oneide teixeira disse...

estamos perdidos!
E isso mesmo,deu ate vergonha alheia vendo a dilma pateta falando.
Eo pior de tudo e ver na net o polilogismo do pt afirmando que a dilma foi bem que ganhou o debate.
sobre partido liberal eu vejo que muita gente (mais do que se imagina) e liberal apenas não foram "tocadas" pelo texto,discurso liberal,eu mesmo so fiquei a par do liberalismo quando comecei a ler no www.mises.org.br ,e engraçado colocar algo de mises em site de esquerda,parece filme de vampiro quando vão pra luz do sol e so grito.
O grande erro da direita e não deixar claro seu proposito(capitalismo) e refutar qualquer ligação com o "rent-seeker".

Reginaldo Macêdo de Almeida disse...

Rodrigo,

Sinceramente, eu já me contentaria com um bom partido de direita. O Liberal é quase um luxo, é quase um capricho.

Júlio César Bueno disse...

Pusilânimidade, eis realmente um termo acertado para se refirir ao candidato Serra: pusilânime.

ITAGUAÇÚ disse...

Eu também não ia com a cara dele. Mas vi um vídeo, há pouco, em que ele estava chegando em São Luis, Maranhão, e um reporter fez uma pergunta toda errada, toda facciosa pra ele, sobre pesquisa eleitoral. O Serra, aquele chato, inquiriu o reporter observando que a pergunta estava fazendo uma proposição errada. O repórter insistiu. Aí o Serra, aquele chato, perguntou qual era a emissora para a qual o reporter trabalhava. O repórter disse o nome da emissora.

- Ah - disse o Serra. - É do Sarney!

Serra subiu no meu conceito.

fejuncor disse...

Debate...onde? Não vi. Vi três xaropes proselitando frases prontas intercalados por um bobalhão que disse que “transpor o São Francisco é ‘entregar’ o nordeste ao Agronegócio” e Dilma até lendo numa cola. Isso é debate? Nem o pip no cantinho deixei para não perder meu tricolor com essa bosta, voltei a assistir só no intervalo e após apito final. Mas uma pena. O que temíamos se confirma: sob o tal estigma da “agressividade” que alguns imputam ter prejudicado a candidatura Alckmin no último pleito, não irão mesmo confrontar a guerrilheira e os crimes do PT. Nada a ver. Não sei quem ganhou o debate, mas sem dúvida o Brasil perdeu. Geraldo cedeu votos pela abordagem dos esquemas de corrupção petistas o kct! Fez bem. Isso é dever. Lula cresceu do primeiro para o segundo turno dada incorporação de votos dos outros candidatos Marina e Cristóvam. Devem sim ir na jugular. O passado dela, a queda no IDH, piora da dívida, proteção a Renans e Sarneys, enriquecimento do Lulinha, a decadência do perfil do comércio exterior. Se acham que isso equivale a dar murro em faca então nossa política está perdida.

Leonardo Santarem: disse...

Stela fugiu da raia no debate da BAND. Concordo com amigo acima ,até para dar Boa Noite ela se valeu da papelada.

E fugiu também da ligação direta que ela tem com as FARC, já que nomeou Angela Maria Slongo, mulher do embaixador das FARC no Brasil, Olivério Medina para um cargo no Ministério da Pesca em Brasília.

Aliás um Ministério ,entre os 48 criados pelos petistas, para alocar os aloprados e simpatizantes. Desprezível a atuação do poste de Lulla.

o asdrúbal disse...

O psol é um partido de petistas recalcados, até aí tudo bem.
Mas me admira um senhor de 80 anos se propor a fazer o papel de uma criança birrenta.
Achei ridículo.

O melhor do debate ficou antes de iniciado o debate, quando foram recuperadas algumas imagens do debate de 1989.
Gostem ou não, Covas e Maluf foram o melhor da noite de ontem.
Quem viu, entenderá.

fejuncor disse...

Perdão, que Marina, Heloísa Helena! Tanto faz. Rsrsrs. Marina Silva é a H.Helena da vez.

André Luis Mota disse...

Rodrigo, endosso seu pensamento, com algumas reservas. Serra e Dilma são ideologicamente mais próximos do que imagina nossa vã filosofia. Jamais s agredirão. Marina busca voto para negociar voto no segundo turno (e as respectivas benesses pós-eleitoreiras). Os demais, desprezar é o melhor. Mas acho que desqualificar a Marina pela voz irritante não está à altura do debate que você sempre pregou. Gostaria de ter o corcunda de notre dame, fanho e gago, como presidente, se boas fossem suas ideias e ideais, do que um bonitinho, de voz suave, mas bem ordinário. Abraço!

Anônimo disse...

Serra vai esperar mais um pouco! Acho que ele quer inicialmente levar pro 2 turno e depois mandar brasa!!

Gilsergio disse...

Um experimento Socialista - Adrian Rogers, 1931 "É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações quepunem os ricos pela prosperidade.Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalharsem receber.O governo não pode dar para alguém aquilo que tira de outro alguém.Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar,pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outrametade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeirametade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."Adrian Rogers, 1931 *Um Experimento Socialista* Um professor de economia na Universidade Texas Tech disse que nunca haviareprovado nenhum só aluno até que, de uma vez, havia reprovado uma classeinteira. Essa classe em particular tinha insistido que o socialismorealmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudoseria igualitário e 'justo". O professor então disse, "Ok, vamos fazer um experimento socialista nestaclasse. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas." Todas asnotas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam'justas' Isso quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o quesignificou que ninguém seria reprovado. Isso também quis dizer, claro, queninguém receberia um "A"... Depois que a média das primeiras provas foram tiradas, todos receberam "B".Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não seesforçaram ficaram muito felizes com o resultado. Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos -eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinhamestudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam dotrem da alegria das notas. Portanto, agindo contra suas tendências, elescopiaram os hábitos dos preguiçosos. Como um resultado, a segunda média dasprovas foi "D". Ninguém gostou. Depois da terceira prova, a média geral foium "F". As notas não voltaram a patamares mais altos mas as desavenças entreos alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte daatmosfera das aulas daquela classe. A busca por 'justiça' dos alunos tinhasido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça quepassaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queriamais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunosrepetiram o ano... Para sua total surpresa. O professor explicou que o experimento socialista tinha falhado porque elefoi baseado no menor esforço possível da parte de seus participantes. Preguiça e mágoas foi seu resultado. Sempre haveria fracasso na situação apartir da qual o experimento tinha começado."Quando a recompensa é grande",ele disse, "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outrossem seu consentimento para dar a outros que não batalharam por elas, então ofracasso é inevitável."

ntsr disse...

Não é que ela seja incompetente por causa da voz mas sim que isso torna ela meio antipática, ruim de voto

Jurema Cappelletti disse...

Debates deveriam ser trocados por sabatinas com perguntas feitas não apenas sobre suas intenções, até porque de boas intenções o inferno está cheio.

Seriam interrogados por jornalistas, cientistas políticos, eleitores de um modo geral (inclusive blogueiros). Aos candidatos caberia apenas o direito de responder. Além disso, compararecer à sabatina seria obrigação, pois quem não tem o que esconder... não tem medo.

Os candidatos estariam ali para esclarecer as dúvidas apresentadas sobre sua competência, seus deslizes, sua honestidade, casos em que já estiveram envolvidos, por em xeque todas as incoerências e contradições de sua existência na vida pública.

ntsr disse...

O pt tem mais podres do que sei lá o que e o Serra não falou nada, dá até pra desconfiar de marmelada

Pedrão disse...

É um disparate enojante ter de sustentar mais de 500 deputados e 80 senadores a ainda 48 ministérios e um gnomo demagogo e populista que está afundando o país e nos fazendo passar vergonha no cenário internacional metendo o focinho de texugo dele nos assuntos dos outros e apoiando traficante das FARC. A diladra é uma marionete construída pelo PT e pelo gnomo para dar continuidade a este descalabro absurdo e surreal que temos vivido nesses 8 anos.
Cadeia neles todos antes que isto vire uma ditadura venezuelana com laivos de novela mexicana.

Corruptocracia: Roubar é poder! disse...

Esse débito é de ladroagem pessoal?

Lula vai deixar conta de R$ 90 bi para sucessor

Agência Estado

Após oito anos de governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixará a seu sucessor um bolo de pagamentos pendentes de R$ 90 bilhões, segundo estimativa da área técnica. Será um novo recorde, superando os R$ 72 bilhões de contas penduradas que passaram de 2009 para 2010. Essas despesas que passam de um ano para outro são os chamados "restos a pagar" e ocorrem porque os ministérios muitas vezes contratam uma obra que não é concluída até dezembro. Como o governo se comprometeu a pagar a despesa, a conta acaba sendo jogada para o ano seguinte.

Os restos a pagar são uma ocorrência rotineira na administração pública, mas a conta se transformou numa bola de neve por causa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). À medida que as obras vão saindo do papel, o volume de despesas que ultrapassa o prazo de um ano vai aumentando, chegando ao ponto em que os restos a pagar são quase iguais ao total de investimentos previsto no ano.

Toninho KN disse...

Essas informações não têm a mínima importância para o povo brasileiro, pois este é completamente desinformado e ignorante na sua grande maioria. Se a verdade sobre o comando do país fosse do entendimento da maioria do povo, o índice do sr. Lula estaria lá embaixo. Mas como o que vale são coisas insignificantes e mentiras, ele continua em alta infelizmente.

fejuncor disse...

Não, Corruptocracia. Isso aí é "fiado" deixado no âmbito da esplanada dos ministérios.

60% ficou com 12 empresas.

fejuncor disse...

Vamos lá, repassando.

Retrato da corrupção bêbada, deslavada: crédito do BNDES fica com 1 dúzia de empresas da "corriola".

DEU NA FOLHA DE S. PAULO

Levantamento da Folha com base nas operações divulgadas revela como o banco estatal foi seletivo de 2008 a junho deste ano.

Nesse período, as ESTATAIS Petrobras e Eletrobras, além de dez grupos privados que se associaram a projetos de interesse do governo federal, ficaram com 57% dos R$ 168 bilhões contratados.