segunda-feira, maio 23, 2011

Democratas fundamentalistas


Meu novo artigo para o OrdemLivre.org, sobre a irracionalidade dos eleitores e como a democracia pode potencializá-la. Resenha do livro "The Myth of Rational Voter", de Bryan Caplan.

3 comentários:

Anônimo disse...

Se as pessoas são irracionais pra votar porque também não seriam na hora de fazer trocas voluntárias?

Rodrigo Constantino disse...

Resposta no próprio texto:
Se eleitores são irracionais, por que consumidores não seriam também? Caplan entende que os incentivos são bastante diferentes nos dois casos. Na democracia há total incentivo para agir de maneira a gerar a maior satisfação mental com as escolhas, uma vez que seu voto não altera o resultado. Já no mercado, os consumidores são incentivados a agir de forma mais racional. Isso não é garantia de racionalidade, naturalmente. Mas quando o consumidor precisa colocar nos atos suas palavras, é ele quem paga o preço. Basta pensar no exemplo do protecionismo: ele pode comprar um produto nacional, pior e mais caro, para se sentir bem como um patriota; mas isso poderá lhe custar caro. O efeito é direto sobre ele. É justamente por isso que vemos tanta contradição entre discursos políticos e práticas consumistas. Os mesmos que atacam o progresso tecnológico como destruidor de empregos em seus discursos, entendem que fazer mais com menos em seus trabalhos é algo positivo, pois sobra mais tempo para investir em outras atividades, como o lazer. O custo individual de ser um ludista na política é quase nulo, enquanto o custo individual de rejeitar o avanço tecnológico no mercado é absurdamente elevado.

Sérgio Ricardo disse...

Rodrigo, excelente artigo publicado ontem no portal Ordem Livre. Bastante lúcido e que apresenta o elevado custo que o eleitor tem em não avaliar sua escolha ótima no ato de um processo eleitoral. Uma das formas de elevar o custo do processo é obrigando todos a praticar o voto, retirando direitos fundamentais quando não praticam tal ato de "cidadania". Acredito que uma das formas de corrigir essa falha é liberando o voto por meio do escrutínio facultativo. A racionalidade é prática de quem tem as informações necessárias para melhor tomada de decisão.

Parabéns!

Abraço,
Sérgio Ricardo