sexta-feira, maio 20, 2011

Boibrás: A vaca vai pro brejo


Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

A JBS anunciou que debêntures no valor de quase R$ 3,5 bilhões serão convertidas pelo BNDES, que passará a ter mais de 30% de participação acionária na empresa. O banco estatal já tinha emprestado para a empresa rios de dinheiro. A JBS faturava pouco mais de R$ 4 bilhões em 2006, já em termos consolidados. Com a “mãozinha” do governo, o conglomerado agora fatura quase R$ 60 bilhões!

Mais complicado, porém, tem sido transformar esta montanha de faturamento em lucro. A empresa, que lucrou quase R$ 160 milhões em 2006, apresentou um prejuízo acima de R$ 300 milhões em 2010. Entrementes, a gigante da agropecuária acumulou quase R$ 20 bilhões de dívida líquida no período. O governo, por meio do BNDES, resolveu criar uma “vencedora” no setor, na marra, e concedeu crédito quase ilimitado para este fim. Será que houve algum critério técnico para emprestar tanto dinheiro a uma empresa que não consegue nem lucrar?

O mercado de capitais acusa o golpe. As ações da JBS acumulam queda de quase 30% no ano. Nos últimos 24 meses, enquanto o CDI subiu 20%, a JBS caiu quase 15%. E esta empresa que o governo agora, por meio do BNDES, resolveu ser grande acionista. É a criação da Boibrás, a estatal dos bois. As tetas do governo são fartas para os “amigos do rei”. De tetas o governo entende!

O caso da JBS é escandaloso e sintomático, demonstrando como o BNDES foi transformado pelo PT num veículo promíscuo de “desenvolvimentismo nacionalista”. Roberto Campos, que ajudou a criar o BNDE (antes do S de “social”), ainda em vida chegou a lamentar sua transformação: “Acompanhei, com atenção, ao longo dos anos, a trajetória dessa organização, que ajudara a criar. Graças ao recrutamento por concurso público, o BNDE manteve uma saudável tradição meritocrática, com nível técnico bastante satisfatório. Não escapou, naturalmente, ao vício do burocratismo e complacência com a irrupção do nacional-estatismo”.

8 comentários:

Anônimo disse...

A Friboi é bem falada, não? Volta e meia leio um texto todo bonitinho sobre a Friboi. Friboi prá cá, Friboi prá lá... Trabalho, competência, honestidade... e um "tuf" no BNDES. Acontece periodicamente.

Isso é carta marcada. O único que faz de conta que não sabe é justamente o BNDES.

Putz:

"Eles têm um gás, uma disposição de crescimento impressionante. Conhecem o negócio profundamente. Soube que a mesa de operações dele é maior que a de um banco médio. Fecham posição de compra e venda em grandes volumes em alta velocidade e sabem, online, o que está acontecendo em cada unidade", conta. "Têm enorme propensão ao crescimento e se montam para isso. E nas operações de aquisição, parecem ter um respeito muito grande pelas idiossincrasias locais, mantendo os dirigentes das adquiridas para aprender com eles."

Isso é comentário de banqueiro? Isso é papo furado de funcionário que está cooptado. O golpe vai ser grande. Pode escrever.

sol-moras-segabinaze disse...

O boi é nosso, finalmente.

Rafael Gargalhão disse...

Com todo o respeito ao saudoso Roberto Campos, o que ele esperava? É MUITA INGENUIDADE ACREDITAR QUE QUALQUER ENTE ESTATAL NÃO VENHA A SE TORNAR UM MONSTRO, AO LONGO DO TEMPO. A grande maioria dos problemas que enfrentamos atualmente provém de estruturas criadas pelo "direitista" regime militar e pelo "neoliberal" governo Fernando Henrique. NO QUE TANGE AO ESTADO, A MELHOR OPÇÃO É PECAR PELA FALTA - JAMAIS PELO EXCESSO!

Rafael Gargalhão disse...

A propósito: parabéns pelo novo visual do blog, Rodrigo. Ficou muito bacana!

E parabéns por continuar ativo em suas postagens. Achei que o mercado financeiro iria consumir todo o seu tempo, privando-os das suas sempre pertinentes análises.

Abraço!

samuel disse...

É o problema do dinheiro fácil. V perde o objetivo: LUCRO. O pouco que sobrou do capitalismo, O MERCADO DE CAPITAIS está ahi para lembrar aos BUROCRATAS qual a realidade: É O LUCRO ESTÚPIDO! Esse o motivo pelo qual a UNIÃO SOVIÉTICA (e outros) foi à falência, não tinha parâmetro de aferição.

Anônimo disse...

Rodrigo, queria tua opinião numa coisa.Obs: o objetivo não é avacalhar mas fazer uma crítica construtiva que possa ajudar os liberais a buscarem melhores argumentos

Tu conhece a falácia da composição, não conhece?Resumindo, que se algo é verdade pras partes do todo, consideradas separadamente, isso não significa que também vá ser verdade pro todo
Por exemplo, se vc pegar quatro bons músicos, não significa que porque eles são bons músicos individualmente eles vão formar uma boa banda.Eles podem não saber trabalhar em equipe, por ex

Então, alguns liberais vem com essa falácia o tempo todo, como esse idiota no site do mises:
'Se o que você escreveu você positivo (...) seria positivo não só entre países, mas tambéms entre os estados.. '
http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=963&comments=true#ac10872

Esse animal nem escrever sabe, mas o ponto não é esse.A conclusão pode até estar certa mas A LÓGICA que ele usou pra chegar nela é falaciosa.Não é porque uma coisa é boa pra um país que vai ser boa pra um indivíduo.

Não sei se ainda vou comentar no IMB, o nível lá é decepcionante (e a esquerda agradece).Um erro grosseiro desses nunca passaria num fórum cético...
ntsr

Anônimo disse...

Muito pertinente essa notícia , acabo de fazer um trabalho sobre a JBS e gostaria de compartilhar alguns indicadores com os leitores .
Relação Dívida/EBITDA ( em 2009 ) = 11,31 , quando um valor acima de 3 já é considerado pelo mercado como "alto risco de inadimplência "
Índices de retorno (ROIC , ROE e ROA ) próximos de zero e negativos nos anos de 2007 e 2010 .

Finalmente ,o Boi é nosso ! -.-

Gabriel disse...

Rodrigo,

Parabéns pelo Blog.

Sobre a JBS, acho que o governo exagerou na dose de ajuda a eles, claro. Mas existe uma outra versão que não falam muito.

O estado atual da dívida da JBS e dos problemas enfrentados na sua operação são, em grande parte, consequências da "fusão" com o Bertin. E este, foi comprado pela JBS, não somente por vontade própria, mas por um "pedido" do governo, que iria perder alguns bilhões que havia emprestado/investido no Bertin, o mesmo que aconteceu com o Independência. Se olhar o caso da Swift, eles fizeram um belo turn-over na empresa. A Pilgrim's, está um pouco mais difícil pela situação do mercado, preço do milho, etc. GRANDE parte da dívida de hoje veio do Bertin. Fora que o mercado de 2006 e 2011 são completamente diferentes. Hoje, o boi brasileiro é o mais caro do mundo! Tudo o que as empresas exportadoras de carne trabalharam por 10 anos para conseguir, perderam em 2 anos, com a alta do dólar e da arroba do boi.

Enfim, não tenho partido político e acho que instrumentalizaram demais o BNDES e etc. Mas acho que batem demais na JBS, somente com o argumento do BNDES.