domingo, julho 07, 2013

A lição de Anderson Silva

Fonte: O GLOBO
Rodrigo Constantino

Que decepção! Fiquei acordado até tarde neste sábado para ver a luta mais esperada da noite: Anderson Silva x Chris Wiedman. E tudo se acabou rapidamente, após excessiva provocação e palhaçada por parte do brasileiro.

Qual lição essa luta passa para o outro campo de batalha, a política? Para os petistas, defensores do cinturão, a clara ideia de que não devem brincar com o inimigo. E eles parecem ter absorvido a mensagem. 

A presidente Dilma vai se reunir com blogueiros, para "reatar o relacionamento". Sakamoto, motivo de piada nas redes sociais, será um deles. Os representantes do governo mal tentam usar eufemismos: a tática é escancarada mesmo, e significa soltar verbas para blogueiros chapa-branca. É o governo comprando apoio nas redes sociais, para tentar levantar sua péssima reputação.

Os tucanos deveriam compreender a lição também. Até porque em 2005 cometeram o mesmo erro. Acharam que o mensalão tinha nocauteado o oponente, e ficaram dançando no ringue, achando que bastava aguardar o outro sangrar até cair duro. Deu no que deu. O diagnóstico foi precipitado demais, o moribundo se reergueu e derrotou o favorito. 

Desta vez os golpes vieram das ruas, da economia, e a presidente Dilma, defendendo seu cinturão, caiu no chão. Sua aprovação desabou 30 pontos! O que vão fazer os tucanos? Aguardar a possibilidade de recuperação da oponente? Rebolar diante dele? Oferecer a face, chamar para um direto no rosto, sorrindo? Vai dar uma de Anderson Silva, e brincar com o desafiante? 

Claro que o PSDB não deve fazer o jogo sujo do PT. Mas isso não quer dizer que ele não possa atacar mais, com seriedade, determinação, dentro das regras do jogo. O PT usa golpes baixos, dedo no olho, cotovelada na nuca. Usa a máquina estatal para comprar apoio de "jornalista" vendido. Cabe ao PSDB reagir, expor aos juízes os abusos do oponente, e partir para cima, "cair dentro" e tentar finalizar a luta logo de uma vez.

Se ficar sambando na frente do inimigo, achando que será moleza vencê-lo, vai acabar levando um direto de esquerda e desmontar no chão. E o público, com toda razão, ficará achando que o lutador quis perder, entregar de bandeja a vitória ao outro. Reajam, tucanos!

5 comentários:

Fernando disse...

Concordo com tudo em gênero e grau!

Leandro Almeida disse...

Viajou um pouco nessa, né!

Salvatti disse...

O grande problema do UFC é não ter regras claras que selecionem um campeão de fato. É por isso que há tanta acusação de marmelada.

Recentemente, o dono do evento, Dana “Ditador” White, como já foi chamado devido a seus critérios obscuros, se viu forçado a criar um rank de lutadores que não resolve muito a questão.

Anderson Silva é peça publicitária desse sistema. Ele só não caiu antes porque o dono do UFC não deixou. O brasileiro fugiu enquanto pode.

A lenda criada em torno de Anderson tinha como fundamento a sua teatralidade no octógono. Era questão de tempo Silva encontrar um lutador que não caísse nesse encantamento.

-------

Acho que é por aí uma comparação com a política e o mercado livre.

Anônimo disse...

Tem a luta no youtube.Que palhaçada...ele ficava apontando pro rosto, 'acerta aqui ó'...

edufilo disse...

Como surgem as artes marciais?
Tinha um fim nobre?
Defendia-se a honra?
Existe uma tradição a ser zelada?
Bem, após responder essas perguntas a questão é: o que é o UFC?
O que é o próprio MMA?
Quem acha que a tradição toda deve ser tombada, compre sua pipoca, critique, por um melhor espetáculo, mas não deixe-o jamais de assistir, agora quem defende certos valores, sabe o caminho a tomar, não?

Abraço a todos
Edu