quinta-feira, julho 04, 2013

Manifestantes ou criminosos?

Rodrigo Constantino

Deu no EstadãoManifestantes incendeiam pedágios e depredam prefeitura de Cosmópolis

No GLOBO, a manchete é similar: Manifestantes incendeiam cabines de pedágio em SP

Diz a matéria: "Cerca de 200 pessoas protestaram, das 5h30m até as 9h, contra a tarifa para carros, no valor de R$ 6,20". Que me perdoem todos aqueles empolgados com as manifestações, que são em sua maior parte pacíficas, mas acabam dando guarida a esse tipo de coisa: Manifestantes? Protestos? Sério?

Questão de semântica, mas é que dou importância ao adequado uso dos conceitos: eram criminosos! Quem depreda instalações e incendeia cabines de pedágio comete um crime, não um ato de protesto. Quem parte para a ilegalidade e destrói patrimônio, público ou privado, não está se "manifestando", e sim praticando um crime.

Como resumiu Thomas Sowell, mirando nos criminosos que tomaram os campus das universidades desde Maio de 68 para impor sua agenda cultural ao resto do mundo: "Note-se que 'manifestantes' é o termo politicamente correto para baderneiros, vândalos, ou tropas de assalto no campus". Vamos chamar as coisas pelos seus devidos nomes?

Um comentário:

Salvatti disse...

Eu gosto da semântica das manchetes porque ela nos avisa que essa gente enlouquecida é aquela parcela de manifestante que não entendeu que é hora de voltar p/ casa.

Tem muita gente separando ordeiro de vândalo, e eu entendo que isso mais atrapalha do que ajuda agora.

Tirando o criminoso de carreira infiltrado na bagunça, a sobra que está destruindo é manifestante mesmo.

Marcio Salvatti