quarta-feira, julho 03, 2013

Serra defende união da oposição

Rodrigo Constantino

Ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB) concedeu entrevista ao GLOBO. Ele defende um entendimento entre as oposições. “Com uma ou mais candidaturas, nós temos que trabalhar por essa unidade. Isso é muito importante para o Brasil”, diz Serra.

Segue trecho importante:


O senhor acredita que o ex-presidente Lula poderá ser o candidato do PT em 2014?

O PT não quer perder o poder e eles vão fazer de tudo para não perder. Se eles acharem que a Dilma não tem chance, eu não tenho dúvida de que porão Lula.

E o senhor, quer concorrer em 2014?

A gente não deve especular agora em torno de questão eleitoral. Fui crítico da antecipação da campanha eleitoral. Isso fez mal para o Brasil. Os fatos mostraram que eu estava certo. Este é o momento para procurar soluções. Para procurar ajudar o país a sair dessa situação, não é o momento para discutir ou recolocar assunto de campanha eleitoral.

Mas há chance de o senhor ser candidato em 2014?

Aposentar da vida pública, eu não vou aposentar. Eu sou contra aposentadoria prematura. Mas, exatamente, que candidatura? O que disputar e etc? É coisa que vem depois.

O senhor acredita que a candidatura do senador Aécio Neves pelo PSDB é fato consumado?

É uma questão que está posta dentro do PSDB. Mas, como eu digo, realmente, o importante agora é nos concentrarmos na questão atual, os impasses que o Brasil está vivendo. As coisas estão mudando muito no Brasil. Se você olhasse o dia de hoje com uma lente, uma bola de cristal, de ontem, ele seria irreconhecível. Eu acho que o dia de amanhã será irreconhecível com uma bola de cristal de hoje. As coisas estão mudando muito no Brasil. Eu acho que, realmente, não convém tocar para diante o debate eleitoral agora.

Já pensou? Lula x Serra em 2014? Não! Essa seria a forma mais fácil de o PT continuar no poder! José Serra fala em união da "oposição" (vamos aceitar que PSDB, Eduardo Campos e Marina Silva são oposição), mas todos sabem que ele, o próprio Serra, com seu "estilo trator", tem sido um dos obstáculos a esta união, dentro do próprio PSDB! Serra não desiste de seu sonho de ser Presidente da República, e essa obsessão pode nos custar caro, uma vez mais.


Na coluna de Ilimar Franco, consta: Vem aí o "Volta Serra": O PPS delirou com pesquisa nacional do Instituto Paraná Pesquisas. Nela, José Serra tem 21,7% e Aécio Neves, 15,4%. O líder Rubens Bueno (PR) proclamou: "Marina Silva e José Serra são, hoje, os dois nomes mais fortes da oposição".

Triste quadro. É natural que Serra tenha mais intenção de voto na pesquisa que Aécio. Afinal, ele é mais conhecido, já foi candidato em campanha nacional, tem mais "recall" (e muito mais rejeição também). Mas está na hora de Serra mostrar humildade, um verdadeiro espírito público, e não criar obstáculos a Aécio, não se tornar uma oposição dentro da "oposição". A alternativa ao PT precisa de união sim. Faça sua parte, Serra!



7 comentários:

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus, Serra foi um atraso, um desserviço pra quem quer liberdade,lembro a última eleição a quantidade enorme de facepams do tio
Rei com as burradas do Serra... já devia ter sido página virada.

ntsr.

Anônimo disse...

Serra cometeu a proeza de ser derrotado por um "poste" no seu próprio reduto eleitoral. Que mais esse cara quer? Não tem auto-crítica? Não tirou nenhuma lição das últimas eleições das quais participou?

Sol disse...

Nossa Senhora!! Ninguém merece esse cara novamente. Fraco, frouxo, foi incapaz de encostar a Dilma na parede, ficou bajulando o Lulla na propaganda eleitoral gratuita, é muito esquerda para o meu gosto. Embora, saiba como poucos que botões apertar para a máquina do estado funcionar. Nos tempos de ministério da saúde, meu pai teve tratamento escandinavo como diabético, nem acreditei, mas isso não é mérito e sim uma obrigação de quem almeja administrar o Brasil.

Suelene Simplício disse...

Pô, todas são péssimas opções, inclusive o Serra...

Anônimo disse...

Quer dizer que o Serra deve fazer a parte dele e deixar o Aecinho ser candidato? Muito bem. Então, vamos lá:
1 - São Paulo deve dar ao playboy mineiro/carioca o mesmo apoio que recebeu dele nas eleições passadas.
2 - O playboy traiu o Serra e o Alckmin. Tirava foto com os tucanos,cabalava voto pro Lula e pra Dilma. Lembra do Lulécio e da Dilmasia?
3 - O playboy preferiu se juntar ao PT na eleição pra prefeitura de Belo Horizonte.
4 - O playboy passou a vida em campanha contra o que ele chamava de hegemonia paulista na política e na economia. Agora vem aqui pedir dinheiro e apoio.
5 - O playboy entrou numa viagem que seria a terceira via entre o PSDB e o PT. Uma bad trip.
6 - O playboy não se dá com o Serra, com o Alckmin - com o Fernando Henrique ele finge melhor que suporta. A turma do playboy no tucanato é o Sérgio Guerra, o Tasso. Mas a turma dele mesmo é a do Leblon.
7 - A candidatura do playboy, se oficializada, será um prato cheio para os jornalistas. Ele não aguenta a primeira manchete.
Não sou bairrista, nacionalista ou outro ista. É uma questão de coerência. Fiquei surpreso com o blog defendendo o Aécio da forma que fez. Entro aqui há pouco tempo, achei que ia virar freguês diário. Mas não, é melhor dar um tempo e não ficar estressado. Perdi o interesse. Boa sorte ao lado do Aecinho.

Anônimo disse...

Serra falando em união ? kkkkkkkkk
Conta outra piada.

Anônimo disse...

Não sou tao radical para desprezar o Aécio, mas entendo que fazer o mesmo com José Serra é tolice.
Correta a critica sobre a alta de empenho de Aécio com Serra e Alckmin. As feridas devem ser fechadas de vez.
Defendo a chapa puro sangue. Aécio/Serra é uma saída razoável em vários aspectos. Une recall e uma nova candidatura com excelente prognóstico de vencer com folgas nos dois principais colégios eleitorais.