segunda-feira, outubro 22, 2012

O que é uma vida decente?

Luiz Felipe Pondé, Folha de SP


Quando se fala de corrupção, todo mundo mente. Quase todo mundo prefere um pai ou marido corrupto a um honesto, mas pobre. Para resistir à corrupção, você tem que ser radical, ou religioso, ou moral ou político.
Parafraseando Hanna Arendt em seu "Eichmann em Jerusalém", quando ela disse que os nazistas estavam preocupados com a aposentadoria e chamou isso de banalidade do mal, eu diria que existe uma "banalidade da corrupção" inscrita na perversão do que seria uma vida decente.
Não quero "desculpar" a corrupção, quero trazer à tona uma causa ancestral de corrupção da qual não se fala no silêncio do cotidiano.
O julgamento do mensalão não significou nada para o eleitor, mesmo para aquele que se julga "crítico". Ninguém dá bola para a corrupção do seu partido do "coração". Também foi importante para ver o modo de operação da corrupção ideologicamente justificada inventada pelo PT: só faltava dizer que foi a direita de Marte que inventou tudo.
Já se falou muito que quando classes sociais mais baixas ascendem socialmente e tentam imitar os hábitos da aristocracia ficam ridículas. Isso é descrito como "novo rico". Mas o "novo corrupto" é tão ridículo quanto. Que "saudade" dos corruptos clássicos do coronelismo nordestino, que negavam, mas não apelavam para uma inocência ideologicamente justificada, ou simplesmente não se davam ao trabalho de negar. Os mensaleiros continuam a agir como um clero de puros de coração.
Mas não é disso que quero falar. Quero falar do fato de que, para além do debate político --que acho chatinho e quase sempre um circo--, a corrupção se alimenta de algo muito mais profundo.
Damos pouca atenção a esse fato porque a substância da moral pública é a hipocrisia, por isso é melhor brincar de dizer que a causa é só política, quando na realidade é mais banal do que isso.
Quase ninguém quer ter um pai ou marido pobre, e sim prefere um pai ou marido corrupto, mas que dê boas condições de vida. Esta é a verdade que não se fala.
Imagine que você é uma jovem mulher que vai casar com um jovem rapaz. Antes que me acusem de "sexista" (mais um termo usado para quebrar a espinha dorsal do debate público, semelhante a acusar alguém de pedófilo), o que vou descrever pode acontecer também com um homem, mas é mais comum ser mulher, porque elas ainda são mais financeiramente dependentes e continuam execrando homem sem sucesso profissional, apesar das mentiras das feministas.
Agora imagine que seu marido será um policial honesto até o fim da vida. A chance de ele acabar pobre é enorme. O mesmo pode acontecer, ainda que num grau mais alto em termos financeiros, com qualquer um que venha ocupar um cargo nos variados escalões do governo.
Agora imagine que, no começo, ele seja honesto e com ereção e vigor, e você também seja uma jovem mulher cheia de vida e expectativas. Agora imagine que se passaram 20 anos... 30 anos... O que importa? A honestidade dele ou ele pensar "no bem-estar da família"? Espere, não responda em voz alta, guarde para si a resposta, senão você mentirá na certa.
Por "pensar no bem-estar da família", quero dizer: roupa, comida boa, escola dos filhos, melhor casa para morar, ajudar os sogros doentes e idosos, viajar para Miami e Paris, apartamento na praia, iPhone, no mínimo para as crianças, carro novo, uma bolsa de marca, ainda que "em conta", sair com amigos para jantar, levar as crianças para comer pizza no domingo, poder mostrar para os cunhados que você está melhor de vida (isso às vezes vale mais do que tudo na escala da miséria moral de todos nós), viajar de avião, comprar coisas nos EUA, ter TV de 200 polegadas, iPads, enfim, "ter uma vida".
Em situações de risco, em guerras, a covardia é a regra --ao contrário dos mentirosos que até hoje se dizem filhos de "la résistance française".
No dia a dia, isso tem outro nome: honestidade não vale nada, o que vale é ter uma "vida decente": segurança para os filhos, uma esposa feliz porque pode comprar o que quiser (dentro do orçamento, claro, mas quanto menor o orçamento menor o amor...), enfim, um "futuro melhor".

14 comentários:

Maravilha disse...

Ok, Rodrigo. Tudo muito certo, mas desconfio de sua definição para "ter uma vida". O problema é racial. Quando um povo consegue descer da dignidade a ponto de ser profissional da pobreza, isso só revela inferioridade racial - atraso na escala da evolução da espécie. Esta é outra verdade que precisa ser alardeada. E um indivíduo não evolui na sua vida - êle tem que nascer "mutado" no novo padrão. A Natureza funciona assim e não são as leis da especie humana que vão se sobrepor às Leis Naturais.

Maravilha disse...

Ok, Rodrigo. Tudo muito certo, mas desconfio de sua definição para "ter uma vida". O problema é racial. Quando um povo consegue descer da dignidade a ponto de ser profissional da pobreza, isso só revela inferioridade racial - atraso na escala da evolução da espécie. Esta é outra verdade que precisa ser alardeada. E um indivíduo não evolui na sua vida - êle tem que nascer "mutado" no novo padrão. A Natureza funciona assim e não são as leis da especie humana que vão se sobrepor às Leis Naturais.

Anônimo disse...

Esse cara fala umas besteiras, mas as vezes diz algo que se aproveita.
Faz parte da natureza feminina procurar um bom provedor.E desprezar os que não são.
Darwin explica.

Anônimo disse...


"Vida decente"
...xiii isso é demasiado comum no uso da linguagem onde as palavras em pseudo metaforas deturpam o proprio significado. (nenhuma critica ao autor, só ressaltando o que foi tratado no post abaixo sobre Obama e preconceito)

Taí outra palavra cujo significado é espancado, usando-se a sensação de seu significado original para fomentar idéia a ele oposta, num nocivo uso da palavra.

(sem relação com o texto ou autor)

Decente tem relação com ética ou mesmo moral, mas acaba sendo usado como indicativo de bem estar. Porra, uma coisa nada tem com outra.

Mas imagine-se a referência a "UMA VIDA CONFORTÁVEL"
...que apelo político teria em determinado contexto?

Mas quando se usa "UMA VIDA DECENTE" sobretudo num contexto político, se esta aproveitando da idéia de "DECENTE" para clamar por "CONFORTO DE DIREITO" e ainda com a palavra "direito" diversa de seu sentido de inerência ao individuo para agir e reagir, mas no sentido de resultado de uma ação, tipo:
direito a ter uma moradia não no sentido de ser proibido negar-lhe a realização da moradia, mas no sentido de lhe ser provida a moradia seja lá por quem for.

...

Anônimo disse...

Moral da história: por trás de um grande corrupto está uma boa (de cama) mulher. hehe

svicente99 disse...

Rodrigo, percebi q vc "apanhou de graça" em alguns comentários acima, porque não perceberam q o texto de fato foi escrito pelo Pondé, da Folha SP. Mas td bem, afinal a tribuna é livre, devemos respeitar o livre pensamento.

Contudo, ficou patente +1 vez a hipocrisia da maioria populacional q insiste em acreditar num falso moralismo para tentar corrigir os erros da política dos ministérios e senadores, quando na verdade esse problema vem da base, está arraigado na nossa sociedade tupiniquim. Não vamos generalizar, óbvio, até pq eu faço parte da minoria, mas a grande maioria fica mesmo disputando ter uma "vida decente", o seu novo modelo de iPad, de carro, o apartamento em bairro de padrão nobre, custe o que custar. Seja se endividando ou se corrompendo (os 2 termos são quase sinônimos!).

Mas é duro admitir isso. Brasil, terra de faz-de-conta.

lgn disse...

No reino animal o que importa ao macho é determinar seu território, o mais vasto possível, e conquistar o maior número de fêmeas. A estas, cabe deixar-se seduzir pelo macho mais potente, quer na força e violência, quer na pujança física. Transpondo isso para o homem a linguagem tentou eliminar esse fato traduzindo-o poeticamente para a racionalidade. Homem, animal racional. Será?

Anônimo disse...

MENOS IMPOSTOS e MENOS ESTADO ... é a melhor forma POUPANÇA/PROPRIEDADE.......só os valores da Dignidade e da Honra podem construir um novo futuro , mais rico , mais justo e mais humano...
A PROPRIEDADE É SEMPRE UMA POUPANÇA DE ALGUEM...
Pode ser uma poupança do próprio...ou dos seus avós ( uma herança )...ou até dos seus filhos ou netos...( quando compra uma casa a pagar em 30 ou 40 anos está a fazer uma poupança para os seus filhos ou netos...)
E como qualquer outra POUPANÇA......a PROPRIEDADE NÃO DEVE PAGAR IMPOSTOS...
É injusto , imoral , e incorreto cobrar impostos sobre a Propriedade...
QUEM POUPA E COM A POUPANÇA COMPRA UMA PROPRIEDADE ... merece consideração , merece apoio , merece elogio , merece prémio...e nunca um castigo...
OS IMPOSTOS INJUSTOS SOBRE A PROPRIEDADE DEVEM SER IMEDIATAMENTE ABOLIDOS...
O estado deve cobrar apenas Impostos Justos...sobre o CONSUMO...a POLUIÇÂO...e os VÌCIOS...e todos os outros Impostos Injustos devem acabar urgentemente...
Qualquer imposto sobre a PROPRIEDADE é um crime legalmente cometido pelo ESTADO-LADRÃO contra o cidadão indefeso , é um esbulho , é uma violência inadmissível e imperdoável... PROPRIEDADE DEVE SER PROTEGIDA E DEFENDIDA PELO ESTADO ( e nunca atacada )...pois é um dos três pilares fundamentais da sociedade---( VIDA, LIBERDADE, PROPRIEDADE )...e também para que se faça um mínimo de JUSTIÇA FISCAL...
O Estado recebe o mesmo VALOR...mas só com impostos JUSTOS...!!!
Se concorda....PARTILHA...com um abraço de agradecimento do manuel.ferreira82@yahoo.com.br


Anônimo disse...

Não gosto dessa conversa de 'ah, sou pobre porque sou honesto'. Parece mais um mecanismo de defesa pra quem não teve competência de conseguir nada na vida
Essa história de que todo rico é ladrão, explorador, etc = lixo esquerdista.

Anônimo disse...

Rodrigo,

Você já leu o artigo do seu colega Bresser Pereira na Folha online?

O cara agora é chavista. Hehehe

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/luizcarlosbresserpereira/1172952-a-luta-de-chavez.shtml

André disse...

Só digo uma coisa:a vagina comanda o mundo,todo poder emana da vagina.

Anônimo disse...

@André nope, muitos lugares no mundo não foram contaminados pelas mentiras feministas
Isso é mais no ocidente, botar o homem pra baixo.Principalmente o homem 'branco',hetero e conservador, o eterno culpado de tudo de ruim no mundo

Anônimo disse...

Entao o importante e dinheiro no bolso....

Anônimo disse...

O Ser humano esta dominado peo ter concentrado que domina a humanidade com governantes sem capacidade a sociedade sem responsabilidade de conceber seus descendentes sem planejamento com a moradia e sua alimentação a sociedade sentindo-se injustiçada brota a violencia contra a exploração do homem pelo proprio homem