sexta-feira, outubro 22, 2010

Uma questão de caráter

O editorial do Estadão hoje está imperdível. O jornal tem tido a coragem de colocar os pingos nos is, de dar nome aos bois, de constatar o óbvio, mesmo que isso signifique risco para o negócio, uma vez que o país está dominado pela barbárie (leia-se, PT). Trechos abaixo mostram como o editorial vai direto ao ponto:

"Lula, que é, reconhecidamente, quem dá o tom da campanha da candidata do PT, não hesita em partir para a agressão sempre que se vê contrariado. E não mede palavras quando parte para o ataque. Nada mais natural, portanto, que seu exemplo de agressividade seja seguido pelos militantes petistas. Até com agressão física, como a que ocorreu em Campo Grande, no Rio de Janeiro, contra o candidato tucano José Serra."

[...]

"Em caso algum se pode admitir que um presidente da República insulte adversários políticos do alto de um palanque eleitoral. No caso de Lula, porém, a coisa é mais grave, considerando-se que se cercando das companhias de que se cercou para constituir maioria no Congresso, que autoridade moral tem para acusar alguém de mau-caratismo?

Como cidadão, Luiz Inácio Lula da Silva tem o direito de tomar partido no processo de sua sucessão - até inventando, como fez, a candidata. Como presidente, tem o dever de se comportar com a dignidade e a moderação que seu cargo exige. Não faz isso, por uma questão de caráter."

Por uma questão de falta de caráter, eu completo. Nunca antes na história deste país tivemos um presidente tão indecente, tão imoral, tão sem caráter.

6 comentários:

Leo disse...

ah, mas acontece que o Estadão é do PIG, é tucano, não te contaram?

é muito triste um país em que a oposição é o inimigo, em que o presidente é um enviado de deus e em que agredidos são os culpados pelas agressões sofridas...

Anônimo disse...

PRESIDENTE OU CHEFE DE TORCIDA ORGANIZADA?i
Qual a intenção desse tresloucado promotor de cizânia entre o povo ao qual chamam de presidente da república do Brasil.
Presidentes da república não podem se comportar impunemente como líderes de facções que querem exterminar adversários ou como se fossem chefes de torcidas organizadas de times de futebol.
Que pena que não temos um poder judiciário digno desse nome, pois se faz urgente a ação dos nossos juízes que tal e qual o chefe mor parecem que também fingem que não estão vendo nada e também não sabem de nada. Será que somos mesmo um país de covardes e não temos ninguém com autoridade suficiente para parar esse doido? Os cidadãos brasileiros merecem isto? LAMENTÁVEL

um abraço. edson vergilio

Anônimo disse...

Os mentirosos queimaram a língua de novo. E agora, será que o PT e o presidente de torcida organizada de time de futebol irão se retratar? Como são mentirosos contumazes e inversores de princípios, duvido muito.

Por favor, Sr. Presimente: MAIS CARÁTER E MENOS CARISMA
O que podemos esperar de um país que tem um presidente que se comporta como se fosse presidente de uma torcida organizada de time de futebol? Não sei nem como conseguiu ser presidente de sindicato de classe. Com certeza foi colocado lá como mais um idiota útil para servir como massa de manobra pelo seu carisma. Mas o que estamos necessitando mesmo é de mais caráter e menos carisma, pois somente assim nos tornaremos um país confiável. Confiar é o primeiro mandamento, ninguém minimamente integro seria capaz de comerciar com quem não confia.

Um abraço. Edson Vergilio

Anônimo disse...

O presidente lula é descontrolado. Não consegue administrar as contestações por mais simples que sejam, bem como os todos seus seguidores. Para os petistas tudo conspira, todos são ruins só eles e a torcida "curintia". Estão matando a pau democracia e a constituição e acham certo.Falta pouco,muito pouco para que este autoritário suma da frente das pessoas honestas.
ah sim!!! levando junto sua criatura, é óbvio.

Corruptocracia: Roubar é poder! disse...

A estrutura de corrupção que hoje temos conta com o maior mercado de drogas ilícitas da América Latina, um BNDES voltado para os saqueadores, nepotismo, criminosos bem armados, lictiações fraudulentas, evasão de divisas, crime organizado e desmoralização do Estado. O governo em nome da corrupção - corruPTocracia - um modelo em que a Constituição não é respeitada, no qual o crime tem regalias e onde todo poder emana de quem rouba e em seu nome é exercido.

É preciso articular-se com o crime que ronda o governo no intuito de apoderar-se do Estado. Os honestos ficam indignados, esbravejam, ameaçam, mas em seguida precisam ir para o trabalho porque precisam sustentar seus filhos, enquanto o crime, a corrupção e o ilícito está sempre aguardando na ante-sal de um presidente - ou disposto a colaborar com um presidente.

Leo SKHM disse...

Grande parte do povo também não tem caráter já que visivelmente não se escandaliza e nem se indigna com tudo isso que o presidente Lula e o PT têm feito no Brasil.