sexta-feira, outubro 08, 2010

Escândalo na Petrobrás

Diretor de estatal do Ministério de Minas e Energia é sócio de empresa com contratos com Petrobras

Bruno Villas Bôas e João Guedes, especial para O Globo

RIO, PORTO ALEGRE e BRASÍLIA - Diretor de Gestão Corporativa da Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE), estatal ligada ao Ministério de Minas e Energia (MME), Ibanês César Cássel tem a Petrobras como cliente de sua empresa de eventos. Ligado à candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, desde que ela foi secretária de Energia, Minas e Comunicações no Rio Grande do Sul nos anos 90, Cássel assinou dois contratos com a estatal do petróleo no total de R$ 538.755,65 em 2008, por meio da Capacità Eventos Ltda, sediada em Porto Alegre. A Capacità tem Cássel como sócio e a mulher dele, Eliana Azeredo, como diretora-geral. Um dos contratos foi assinado sem licitação. Informações sobre Ibanês Cássel, entre outros rumores de denúncias que afetariam a Petrobras, circularam no mercado nesta quinta-feira e derrubaram as ações da empresa .

Cássel assumiu o cargo estratégico na EPE em 2005, convidado pela então ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff. Ele foi diretor administrativo da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) do Rio Grande do Sul, estatal ligada à Secretaria de Energia, Minas e Comunicações do estado, quando a pasta era comandada pela atual candidata.

Um dos contratos com a Petrobras (número 4600285827), de R$ 438.755,65, refere-se à inauguração da plataforma P-53, em 18 de setembro de 2008 em Rio Grande (RS), com a presença do presidente Lula. Houve licitação pelo modelo de carta-convite, no qual pelo menos três empresas precisam ser convidadas para a disputa.

A Petrobras também foi cliente da Capacità no contrato de patrocínio do evento "Porto Alegre - Uma visão de futuro", realizado pela Câmara Municipal de Porto Alegre em 2008 e que tratou de "diversos temas relacionados à vida urbana das cidades". Este contrato (número 4600283697) foi assinado sem licitação e somou R$ 100 mil. A Petrobras se valeu do decreto 2745 de 1998 - que flexibilizou as regras para licitação - para não abrir uma concorrência.

Comento: Casos de corrupção envolvendo a Petrobrás devem tender ao infinito! A estatal foi capturada por políticos safados e sindicalistas, infelizmente. O petróleo é deles!

3 comentários:

Anônimo disse...

George Soros, uma dos maiores investidores em ações, desfez-se de todas as suas ações da Petrobras no início do ano.

Será que ele é muito burro e o governo brasileiro muito inteligente...

ITAGUAÇÚ disse...

Dêem a Petrobrás de graça a qualquer um, para mim tanto faz quem é o dono. Até hoje não recebi nenhum centavo da minha parte, pelo contrário: acho que ajudei a pagar os prejuízos dela do passado.

Algum brasileiro já recebeu dividendos da Petrobras? Ou só aumentos na gasolina? Como quê dizem que ela é dos brasileiros? A gasolina mais cara do mundo é a do Brasil e 30% dela é álcool.

Dêem essa Merdobrás ao Eike ou Dantas não estou nem ai, o que eu quero é combustível barato. A Argentina e o Paraguai, aqui do lado, não teem Petrobrás e têm um combustível muito mais barato que o nosso. NÃO VENDAM A PETROBRÁS! : DÊEM DE GRAÇA, QUE SAI MAIS BARATO PROS BRASILEIROS!!

cavalo de borracho disse...

Privatizem essa coisa enquanto há tempo... Salvem o Brasil!!!