quarta-feira, setembro 15, 2010

Lula: chefe de facção



FHC acusa Lula de agir como 'chefe de facção'

Para ex-presidente, o Supremo Tribunal Federal deveria atuar para impedir 'excessos' de seu sucessor, que, afirma, 'quer o poder absoluto'

Patrícia Campos Mello, Anne Warth / AGÊNCIA ESTADO - O Estado de S.Paulo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou ontem que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem agido como "militante e chefe de facção" durante a campanha eleitoral e pregou que o Supremo Tribunal Federal (STF) atue para impedir esses excessos.

Em entrevista à Rede Mobiliza, portal de internet do PSDB, FHC acusou Lula de "extrapolar" e afirmou que ele "abusa do poder político". "Eu vejo um presidente que virou militante, chefe de uma facção política, e acho que isso está errado", afirmou. "Acho até que caberia uma consulta ao STF porque, se você não tiver instrumentos para conter essa vontade política, fica perigoso." De acordo com o ex-presidente, "alguma instância tem de dizer que o presidente está extrapolando e abusando do poder político de maneira contrária aos fundamentos da democracia".

Reagindo à declaração do presidente Lula, que afirmou querer "extirpar o DEM" da política brasileira, FHC disse que Lula "é autoritário", "quer o poder absoluto" e "está em apoteose mental". "Quando o presidente diz que quer eliminar um competidor, ele quer o poder total, isso é autoritarismo. Um presidente não pode fazer isso."

Ele fez um paralelo com o ditador italiano Benito Mussolini. "Outro dia assisti a um filme sobre Mussolini, Vincere, faltou quem freasse Mussolini; Lula não tem nada a ver com Mussolini, mas o estilo "eu sou tudo e quero ter poder total" não pode, ele tem de parar."

Comento: Finalmente o ex-presidente FHC começa a sair mais da toca para acusar o golpe bolivariano em curso. Erra em alguns pontos. Primeiro, Lula não é o chefe de uma facção, mas de uma quadrilha mesmo, de uma máfia! Segundo, se o PT quer o poder total, isso não é autoritarismo apenas, mas totalitarismo mesmo! Por fim, FHC fez uma analogia pertinente entre Lula e Mussolini, mas logo depois subiu em cima do muro novamente. É preciso ser mais firme: a analogia é válida sim! O PT tem um projeto totalitário de poder, e a popularidade de Lula, com todo o seu desrespeito pelas leis do país, se assemelha bastante ao que ocorreu na Itália durante a década de 1930. Nossas frágeis instituições republicanas serão testadas ao limite nos próximos anos. Espero que sejam capazes de segurar o avanço petralha!

9 comentários:

Anônimo disse...

Por que o atual presidente bajula José Sarney, cujo filho teve a conta bloqueada na Suíça, com 3 milhões de dólares?

gsapori disse...

Uma citação para um intelectual:

"Os depositários do poder têm uma disposição desagradável a considerar tudo o que não é eles como uma facção. Eles chegam a incluir às vezes a própria nação nessa categoria."
Benjamim Constant

A popularidade, a liderança e as transformações sociais que significam Lula na história brasileira são incomparáveis. E o sociólogo Fernando Henrique Cardoso e seus leitores deverão aprender isso.

Bruno Leão disse...

Quando FHC sai da toca sempre faz um perfeito resumo da ópera. Lembrando o belo artigo que escreveu no mesmo Estadão que me fode o nome agora.

Corruptocracia: Roubar é poder! disse...

É urgente que o STF se manifeste. Não deveria ser o FHC o primeiro a denunciar tamanho descalabro e exigir providências contra os exageros do Presidente na campanha. Cadê a OAB, CNBB...

Anônimo disse...

Você viu? Estatal vai pagar 500 mil a caseiro por quebra de sigilo em 2006 KKKKK o ladrão apronta, VOCÊ paga!



"A Justiça Federal do Distrito Federal condenou, nesta quarta-feira, a Caixa Econômica Federal (CEF) a indenizar em R$ 500 mil o caseiro Francenildo dos Santos Costa pela quebra de sigilo bancário em 2006. O episódio provocou a queda do então ministro da Fazenda Antonio Palocci (PT). O banco ainda pode recorrer da decisão.

Em depoimento à CPI dos Bingos em março de 2006, Francenildo confirmou que Palocci frequentava uma mansão em Brasília onde lobistas ligados a um grupo conhecido como República de Ribeirão Preto faziam festas e supostamente dividiam propina. A CPI apurava a utilização de casas de bingo para lavagem ou ocultação de bens e a ligação do ex-assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz com o empresário do jogo do bicho Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Dias depois, o sigilo bancário do caseiro foi divulgado ao público com recorrentes depósitos, totalizando mais de R$ 25 mil. Inquérito da Polícia Federal concluiu que partiu de Palocci a ordem para violar as informações bancárias de Francenildo. Para o Ministério Público Federal (MPF), o ex-presidente da Caixa Jorge Mattoso e o então assessor de imprensa, Marcelo Netto, também teriam participado da violação e divulgação dos dados. O ministro deixou o cargo no governo Lula pouco depois do episódio."



CorruPTo comente o crime. Uma empresa pública, financiado por mim, por você e pelo próprio Francenildo, cobre a indenização. Deram um jeito de fazer uma vez mais a vítima culpada. Tomem seus palhaços! Elegeram essa quadrilha, vocês merecem!! Seus trou-chas!

ademir disse...

Demorou 4 anos! Bom, pelo menos valeu a pena pro caseiro. Nem se economizasse a vida inteira conseguiria juntar esse boró. Além disso, a Caixa não ficou impune. Já o Palocci…

Trincado disse...

Meio Milhão, amigo!
É uma indenização ou um cala boca?

Burocratoparasita da União disse...

Esse dinheiro tinha que sair da conta do Palocci e não da Caixa, pois sinto que eu é que estou pagando o Francenildo e não o verdadeiro criminoso. Francenildo demonstrou ser uma pessoa honesta e corajosa enfrentando a máfia do PT.

fejuncor disse...

Ilusão, BUROCRATO.

Daria no mesmo, de onde vem o dinheiro desse senhor???