segunda-feira, setembro 13, 2010

O verdadeiro palhaço



Rodrigo Constantino

Em artigo hoje no Instituto Mises Brasil, Fernando Chiocca defende a tese de que a maior ironia nas eleições não é a imensa quantidade de votos que o palhaço Tiririca deve receber, e sim acreditar na importância do voto. O autor acredita que o voto em Tiririca representa um grande protesto libertário contra o Estado:

"O ataque ao deboche vem até de articulistas liberais. Alguns dizem que este tipo de 'protesto contra o governo' é um tiro que sai pela culatra, pois o partido de Tiririca é da base aliada do PT. Mas eles pecam ao considerar que isto seja um protesto contra o governo. Não é. É algo muito mais relevante; é um protesto contra o estado."

Estranha forma essa de protestar contra o Estado aumentando consideravelmente o poder do grupo que mais pretende expandir o Estado! O autor pensa estar "ridicularizando o sistema" dessa forma, mas falha ao não notar que está apenas dando um tiro no próprio pé. Em artigo no Estadão, José Roberto Toledo questiona quem é o palhaço nessa história, lembrando de um "detalhe" ignorado pelo "libertário" Fernando:

"Tiririca é o principal puxador de votos do PR, do PT e do PC do B em São Paulo. Se chegar a um milhão de sufrágios, seu excedente de votos elegerá mais quatro ou cinco deputados da coligação. O eleitor vota em Tiririca e pode eleger Valdemar Costa Neto (PR), Ricardo Berzoini (PT) ou o delegado Protógenes (PC do B)."

Diferente do Macaco Tião ou do Rino Cacareco, Tiririca é uma pessoa real, que ainda leva um grupo grande de aliados do PT para o Congresso, caso receba essa enorme quantidade de votos. Trata-se de uma bizarra maneira de lutar pela liberdade, essa de colaborar no projeto de poder do partido mais autoritário de todos, que está há oito anos aparelhando o Estado e tentando calar a imprensa. Parece que o autor "libertário" é contra o "sistema", e não enxerga diferença alguma entre PT por mais 4 anos (e depois volta Lula?) ou PSDB. É muita miopia!

Esquece-se que o "sistema" em questão, de eleições democráticas, existe tanto na Suíça quanto na Venezuela, tanto no Chile como na Argentina. Será que não faz diferença mesmo? Será que são "ferramentas do sistema" todos aqueles que lutam para melhorar as coisas dentro do sistema? Será que apenas os "revolucionários" são os verdadeiros defensores da liberdade? Às vezes fica parecendo que alguns "libertários" amam a Liberdade, mas não ligam tanto para as liberdades concretas. É o que Thomas Sowell chamou de "tirania da visão".

Para estes, enquanto a sociedade ideal anarco-capitalista não chega, então resta apenas rir de "tudo que está aí". Não importa que o riso ajude na direção do "bolivarianismo" brasileiro. Quem seria o verdadeiro palhaço?

8 comentários:

ntsr disse...

Tanta ironia deixou o texto meio confuso
Virou ancap agora Rodrigo?

Diego de Paula disse...

É, de fato, um grito para surdos. Não dá pra rir, não se brinca com coisa séria.

##

jacksonviana disse...

Verdade, e quais as soluções?
...... está implicita no texto !!!

Anônimo disse...

Realmente o artigo do Fernando é péssimo. Lança um olhar míope sobre algo sério. Excelente título: "um verdadeiro palhaço".

fejuncor disse...

Estão fazendo o jogo do PT.

Ora boa-fé, sim; ingenuidade, não!

Corruptocracia: Roubar é poder! disse...

“pior do que está não fica”

Depois que um ignorante, estúpido, preconceituoso como este aqui, conseguiu ser presidente, eu não duvido de mais nada:

http://www.youtube.com/watch?v=GXg3-SyFdVs

oneide345 disse...

não tem como um brasil anarquista existir e uma utopia.
enquanto isso o coletivismo avança sem resistencia.
O libertarismo tem que sair pra rua chega de ficar "pregando" para quem ja e libertario,assim realmente não vão encher uma kombi.
Vejo que 60% das pessoas que inicio uma conversa libertaria,se encantam com ela e tornam se simpatizantes e passam adiante o ideal.

gil sergio disse...

'O problema do Brasil é que, quem elege os governantes não são as pessoas que lêem jornal, mas quem limpa a bunda com ele!'